Direito Digital e Compliance

Categorias


Direito Digital e Compliance

WhatsApp processa empresa israelense por suposta invasão de contas de ativistas

O spyware desenvolvido pela NSO Group supostamente teria sido usado em ataques cibernéticos a advogados e jornalistas.

Ricardo Córdoba BaptistaRicardo Córdoba Baptista

O WhatsApp lançou-se em um processo judicial sem precedentes contra uma empresa israelense de inteligência cibernética. A NSO Group foi acusada de estar por trás de ataques secretos a mais de 100 ativistas de direitos humanos, advogados, jornalistas e acadêmicos em apenas duas semanas.1

O WhatsApp disse acreditar que a tecnologia vendida pela NSO foi usada para atingir os telefones celulares de mais de 1.400 de seus usuários em 20 países diferentes, durante um período de 14 dias, do final de abril a meados de maio.

Nesse breve período, o WhatsApp acredita que importantes defensores e advogados de direitos humanos, figuras religiosas de destaque, jornalistas e autoridades de renome em organizações humanitárias foram alvo dos ataques.

“É a primeira vez que um provedor de mensagens criptografadas está realizando ações legais contra uma entidade privada que realizou esse tipo de ataque contra seus usuários”, disse um porta-voz do WhatsApp. “Em nossa reclamação, explicamos como a NSO realizou esse ataque, incluindo o reconhecimento de um funcionário da NSO de que nossas medidas para remediar o ataque foram eficazes”.

O WhatsApp afirmou ter trabalhado com o Citizen Lab, um grupo de pesquisa acadêmica da Escola Munk da Universidade de Toronto, para identificar as vítimas dos ataques e a tecnologia usada contra eles.

John Scott-Railton, pesquisador sênior do Citizen Lab, um grupo de pesquisa acadêmica da Universidade de Toronto que ajudou na identificação das vítimas do ataque e da tecnologia usada contra eles, disse que a ação do WhatsApp é “um grande passo positivo para a proteção dos direitos humanos on-line e vai estabelecer um precedente”.

A denúncia alega que essas empresas violaram leis dos EUA e da Califórnia, além dos Termos de serviço do WhatsApp, que proíbem esse tipo de abuso.

WhatsAppNSO

Referências

  1. WhatsApp sues Israeli firm, accusing it of hacking activists’ phones: https://www.theguardian.com/technology/2019/oct/29/whatsapp-sues-israeli-firm-accusing-it-of-hacking-activists-phones

Advogado com pós-graduações em Direito Digital, Compliance e Segurança da Informação. Graduação em Filosofia. Certificado EXIN Data Protection Officer (PDPP). Membro da Internet Society. Faz parte do escritório Silva, Santana & Teston Advogados.

Comments 0
There are currently no comments.